Archives for October 2018

A VSF NAS JORNADAS SOBRE “CONTROLO POPULACIONAL DE CÃES E GATOS”, ÉVORA, 27 E 28 DE OUTUBRO, 2018

Os VSF foram convidados a estar presentes e apresentar resultados do seu trabalho nas Jornadas dedicadas a “CONTROLO POPULACIONAL DE CÃES E GATOS” que se realizaram nas instalações do Pólo da Mitra da Universidade de Évora no fim de semana de 27 e 28 de Outubro. Foram umas jornadas muito interessantes com partilha de experiências num tema que preocupa os médicos veterinários em geral e, em particular, os que trabalham para as autarquias e têm o controlo populacional de cães e gatos à sua responsabilidade. Foi ainda uma excelente oportunidade para dar a conhecer os projetos que os VSF têm desenvolvido desde 2010, tanto em Cabo Verde como em S. Tomé, e para conhecer Karen Hammes que colabora com uma ONGD Suiça no controle de animais errantes em países tão distantes como a Índia e o México. Estamos certos que estes conhecimentos vão ser muito úteis para o futuro dos VSF. Na fotografia estão, da esquerda para a direita, Margarida Câmara, médica veterinária trabalhando no Centro Oficial de Recolha da Câmara Municipal de Évora e organizadora do evento, Karen Hammes e Conceição Peleteiro, da Direção dos VSF.

 

OS VSF RECEBEM APOIO DO GOVERNO AUSTRALIANO EM PROJETO PARA S. TOMÉ

Na sequência do apoio providenciado aos cães do projeto “Bô Caçó”, a Direção submeteu uma candidatura a financiamento pela Australian Aid, num programa gerido através da Embaixada da Austrália. E é com muito prazer que vos anunciamos que o nossa candidatura foi aceite para financiamento. São nossos objetivos:

  1. Assistência aos cães selecionados do projeto “Cães que Ouvem” (agora denominado “Bô Caçó”) com prestação de cuidados básicos de saúde (desparasitação, vacinação, etc.) e conselhos às famílias de acolhimento. A esterilização será efetuada próximo da fase final do treino para não haver interferência no mesmo por os animais estarem a recuperar da cirurgia.
  2. Prestação de cuidados básicos de saúde e esterilização de machos e fêmeas de cães de famílias que aderirem aoprojeto, iniciando os trabalhos no distrito de Água Grande. Prevê-se a execução de cirurgias em 150 animais (5 dias por semana, durante quatro semanas)
  3. Aplicação de tratamentos para a sarna sarcótica estimando-se vir a tratar 150 a 200 animais.
  4. Realização de ações de divulgação junto da população em geral com a colaboração da Direção Geral de Pecuária promovendo a importância de tratar os cães como potencialmente úteis para os agregados familiares, formando ainda no reconhecimento de comportamentos de ameaça. Estima-se que 200 a 300 famílias possam ser abrangidas.

 

Estamos muito gratos ao Governo Australiano, e estamos certos que este projeto vai ser fulcral para a melhoria das condições de vida da população e dos cães em S. Tomé.

 

A ASSOCIAÇÃO VSF APOIA O PROJETO “CÃES QUE OUVEM” E JÁ ESTÁ EM S.TOMÉ

Recordando uma pequena notícia que divulgámos há uns meses atrás sobre o projeto “Cães que Ouvem”, é com muita satisfação que damos notícias aos VSF. O projeto na sua construção em Portugal acabou por sofrer a alteração do nome para “Bô Caçó” que em criolo santomense quer dizer “Teu Cão ou Cão de você” , durante a formação da equipa cinotécnica surgiram mais e melhores ideias para o futuro. Neste momento, a equipa está a trabalhar para a sustentabilidade do projeto por ter revelado ser uma mais valia para a sociedade santomense.

A voluntária VSF, a Mafalda Iria, já teve uma intervenção importante na assistência aos cães da “Bô Caçó”. Vejam na foto que juntamos numa sessão realizada com a ajuda do Sebastião Palha, o professor de língua gestual. Na fotografia de grupo, à esquerda quase a sair do enquadramento está António Ferreira, o treinador dos cães e autor do projeto, também presente na fotografia em que é acompanhado por um dos cães do treino.